Apontamentos e Memórias de uma História Académica Portuense.

Com o normal aumento de visitas que a página tradicionalmente verifica por esta altura do ano, importa dar as habituais boas vindas a todos os caloiros da Academia e desejar-lhes um percurso académico repleto de felicidades, nestes anos tão frequentemente categorizados como sendo "os melhores das nossas vidas".

A praxe académica é um conjunto de usos e costumes associados à vida do estudante universitário que possuem uma riqueza, contexto e espírito muito próprios. A recepção aos caloiros é uma pequeníssima parte da tradição que, se bem feita, vos amortecerá com boa disposição o impacto da chegada a um novo mundo. Alguns sentir-se-ão acolhidos e integrados, outros desafiados, intrigados ou emancipados e, também, muitos sentir-se-ão desiludidos, afrontados e desrespeitados.
A estes últimos, uma palavra convicta de que o que quer que de negativo vos imprimam, é mais fruto de invenções aleatórias ao serviço de frustrações ou devaneios do que de tradição académica. A praxe académica é uma tradição, e sendo-o obedece a preceitos claros e discerníveis. É de livre adesão e jamais um clube ou seita de onde pessoas possam ser condicionadas sob ameaça de expulsão. 
Vivam-na, e vivam-na bem!

Aos doutores, saibam sempre da responsabilidade que sobre vocês cai. Aos olhos atentos da sociedade e dos media juntam-se agora os olhos da política e da autoridade: demasiados abusos ignorantes e brutos ocorreram para se ter chegado ao ponto a que se chegou. A culpa é de todos. Os que fizeram, os que aceitaram, os que ignoraram.
Não se levem demasiado a sério numa brincadeira tradicional nem se transformem, magicamente, numa pior versão de vós próprios mal vistam a capa e batina. Descompliquem, não mecanizem e improvisem. 
É tão de praxe querer gozar caloiros, como eles não quererem ser gozados. Gozem se souberem e, se não, assumam naturalmente sem recorrência cobarde e fácil aos berros, insultos e colocações de quatro. A praxe quer-se natural e não artificialmente imposta e mantida. Dura Praxis Sed Praxis significa tão somente que a tradição é a tradição: há regras. Queiram então conhecê-las em vez de ceder a toda a invenção ou capricho. 
Não sejam lobos para as ovelhas, mas sempre cães. Guiem-nas. 
E acima de tudo guardem-nas dos ataques dos lobos. 

Saudações académicas
author
O que é?
O praxeporto.com é um espaço independente que promove uma intervenção positiva pelas tradições académicas na Academia do Porto através de um aglomerar de conhecimentos e memórias num repositório aberto.