24 de abril de 2014

Só capas, sem FITA, a Praxe para onde vai?

por: autor anónimo
[o praxeporto.com é um espaço aberto a textos de opinião externos]


De novo e ainda a “questão” das Tunas. 
Os delírios do Magnum Consillium Veteranorum atingem cada vez mais marcos históricos. 
Então não é que, após a FAP ter resolvido convidar a tuna do ICBAS (para audições) e a tuna da Católica (directamente) para participar no certame FITA deste ano, o MCV decidiu barrar a entrada tuna do ICBAS nas audições e afirmou que faria o mesmo com a tuna da Católica no dia do próprio festival. 

A razão? 
A presença no FITU, esse festival proscrito e do demónio, pululante com inimigos da “praxe do magnum”. 

Ao nível a que isto desceu, é de espantar como ainda há casas que que se reveem na fantochada idosa que se tornou o MCV. 

De resto, para um observador minimamente atento, este “escalar do conflito” apenas surpreenderá por ter tardado. Há muito que a paz podre entre o MCV e as tunas dera lugar a uma guerra fria, que agora ameaça degenerar numa guerra bem quente. 

A teima do MCV em ”centralizar” o poder e querer pôr e dispor das tunas arrisca-se a custar muito caro. Quem sai a perder é a Academia, que terá um festival descredibilizado e de qualidade muito duvidosa. 

A TEUP já deu o seu "grito do Ipiranga", outras seguir-se-ão?

0 comentários:

Enviar um comentário